Buscar
0

Livros


Filtros

Filtros

R$55,90
Comprar
TORNAR-SE PALESTINA
Lina Meruane
Relicário

0 avaliações

Publicado originalmente em 2013 pela Literal Publishing, no México e nos Estados Unidos, e republicado em 2014 pela Random House, “Tornar-se Palestina” (Volverse Palestina) é um relato contundente sobre a herança do exílio, a ancestralidade, a perda e a recuperação da identidade.A autora Lina Meruane nasceu em Santiago do Chile e desde o ano 2000 vive nos Estados Unidos, onde ensina literatura na Universidade de Nova Iorque. Descendente de palestinos, conta que seu avô tinha ouvido falar de um vale entre as cordilheiras na América do Sul, que prometia uma vida como a vivida em Beit Jala, aldeia da Cisjordânia considerada uma das mais antigas da Palestina. Essa promessa fez do Chile o país com a maior comunidade palestina fora do mundo árabe. Duas gerações depois, a neta decide retornar ao território do avô. Retornar para um lugar que nunca tinha estado antes.Jogando com o duplo sentido do verbo “volver” em espanhol (regressar e tornar-se), “Tornar-se Palestina” é a crônica de viagem de Lina Meruane a Israel para buscar e reapropriar as origens da sua família em áreas ocupadas. Mas além da nostalgia e da história familiar, a autora se encarrega de pensar o palestino também a partir do vínculo com o presente, a partir do que ela considera “o grande paradoxo de Israel”: que parte de uma comunidade a quem foi negada, por séculos, a propriedade e o pertencimento a um lugar seguro, agora submeta o povo palestino ao mesmo mal de que foram vítimas. Hoje, os palestinos são a maior comunidade de refugiados do mundo.A obra também traz uma série de reflexões literárias, filosóficas e políticas sobre o conflito entre israelenses e palestinos através de seu acordo ou desacordo com intelectuais como Edward Said, Amos Oz, David Grossman, Ilan Pappe e Susan Sontag.Nas palavras de El País: “”Tornar-se Palestina” é um belo livro que parece escrito em voz baixa, em minúsculas, em um esforço contínuo para combater a estridência da guerra com a intimidade da literatura.”Sobre a autora: Lina Meruane nasceu em Santiago do Chile, em 1970. Sua obra de ficção inclui a antologia de contos Las infantas (1998) e os romances Póstuma (2000), Cercada (2000), Fruta podrida (2007) e Sangue no Olho (Cosac Naify, 2015). Entre seus trabalhos de não ficção estão os ensaios Viajes virales (2012), Contra os filhos (Todavia, 2018) e Tornar-se Palestina (2014). Traduzida para diversos idiomas e vencedora de prêmios como Anna Seghers (Alemanha, 2011) e Sor Juana Inés de la Cruz (México, 2012), é dou

  • Seção
    Ficção
  • Ano de edição
    2019
  • Páginas
    200
  • Encadernação
    BROCHURA
  • ISBN
    9788566786972
  • Peso
    200 gr
  • Formato
    13 × 19 × 15 cm
  • Palavras-chave
    Literatura Chilena, Romance

Descrição

Publicado originalmente em 2013 pela Literal Publishing, no México e nos Estados Unidos, e republicado em 2014 pela Random House, “Tornar-se Palestina” (Volverse Palestina) é um relato contundente sobre a herança do exílio, a ancestralidade, a perda e a recuperação da identidade.A autora Lina Meruane nasceu em Santiago do Chile e desde o ano 2000 vive nos Estados Unidos, onde ensina literatura na Universidade de Nova Iorque. Descendente de palestinos, conta que seu avô tinha ouvido falar de um vale entre as cordilheiras na América do Sul, que prometia uma vida como a vivida em Beit Jala, aldeia da Cisjordânia considerada uma das mais antigas da Palestina. Essa promessa fez do Chile o país com a maior comunidade palestina fora do mundo árabe. Duas gerações depois, a neta decide retornar ao território do avô. Retornar para um lugar que nunca tinha estado antes.Jogando com o duplo sentido do verbo “volver” em espanhol (regressar e tornar-se), “Tornar-se Palestina” é a crônica de viagem de Lina Meruane a Israel para buscar e reapropriar as origens da sua família em áreas ocupadas. Mas além da nostalgia e da história familiar, a autora se encarrega de pensar o palestino também a partir do vínculo com o presente, a partir do que ela considera “o grande paradoxo de Israel”: que parte de uma comunidade a quem foi negada, por séculos, a propriedade e o pertencimento a um lugar seguro, agora submeta o povo palestino ao mesmo mal de que foram vítimas. Hoje, os palestinos são a maior comunidade de refugiados do mundo.A obra também traz uma série de reflexões literárias, filosóficas e políticas sobre o conflito entre israelenses e palestinos através de seu acordo ou desacordo com intelectuais como Edward Said, Amos Oz, David Grossman, Ilan Pappe e Susan Sontag.Nas palavras de El País: “”Tornar-se Palestina” é um belo livro que parece escrito em voz baixa, em minúsculas, em um esforço contínuo para combater a estridência da guerra com a intimidade da literatura.”Sobre a autora: Lina Meruane nasceu em Santiago do Chile, em 1970. Sua obra de ficção inclui a antologia de contos Las infantas (1998) e os romances Póstuma (2000), Cercada (2000), Fruta podrida (2007) e Sangue no Olho (Cosac Naify, 2015). Entre seus trabalhos de não ficção estão os ensaios Viajes virales (2012), Contra os filhos (Todavia, 2018) e Tornar-se Palestina (2014). Traduzida para diversos idiomas e vencedora de prêmios como Anna Seghers (Alemanha, 2011) e Sor Juana Inés de la Cruz (México, 2012), é dou

Informação adicional

Peso 0.2 kg
Dimensões 15 × 13 × 19 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “TORNAR-SE PALESTINA”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros livros de Lina Meruane